sábado, 17 de março de 2007

Uma peça radiofônica imperdível, mas antes uma breve historinha:

Tenho duas páginas no Orkut. Uma é uma brincadeira de algum aluno, marcado pelas minhas aulas de História da Comunicação, baseadas em sua maior parte na obra de Herbert Marshall McLuhan, um gênio do pensamento comunicacional, que soube “sair do aquário” para perceber as transformações culturais que então se operavam nas décadas de 1950-1960 - e por que - e as transmitiu a nós em escritos dispersos (que ora estão sendo reunidos) e em obras fundamentais, como A Galáxia de Gutenberg (editada no Brasil pela Cia. Editora Nacional), Os meios de comunicação como extensões do homem (editada no Brasil pela Cultrix) e Os meios são as massa-gens (editada no Brasil pela Record).
A página, que até hoje não sei quem fez, está lá, com algumas bobagens e com coisas certeiras.
Ela tem feito com que alguns outros apreciadores da obra de McLuhan entrem em contato comigo. Tirando o fato de que só ocasionalmente visito a página, o que faz com que muitas vezes só leia os recados muito tempo depois de escritos, e assim deixe amigos irritados com minha demora em responder, acho que ela me tem trazido boas surpresas. Uma das melhores foi o contato de Roberto D’Ugo Júnior, que me mandou uma dica para conhecer sua peça radiofônica baseada numa reunião de textos de Samuel Beckett e McLuhan. Fui conferir e fiquei encantado. Recomendo a todos os meus 2 ou 3 leitores.

INTERFACE ALTERFACE - Roberto D Ugo Samuel Beckett Marshall McLuhan

O INOMINÁVEL: INTERFACE/ ALTERFACE - PEÇA RADIOFÔNICA. VERBORRAGIA. AGONIA DO RÁDIO.

Roberto D’Hugo Júnior apresenta “Interface/Alterface”, peça realizada em 1995 na Cultura FM de São Paulo. O rádio – veículo e também linguagem - é o principal personagem desta produção experimental que aproxima de maneira improvável textos de Marshall McLuhan e Samuel Beckett. Destaque para depoimentos do radialista Fausto Macedo e do compositor H. J. Koellreutter, além de interpretações brilhantes de Hélio Vaccari e Fernando Uzeda. A introdução está na voz de Regina Porto, grande expoente da radioarte no país, cujo incentivo foi fundamental para a realização desta peça

Acesse em: http://www.podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=107

4 comentários:

Amorim disse...

Aníbal! me inclua entre os 2 ou 3 leitores, por favor... adorei a dica e já estou baixando para ouvir depois. Também adoro o Beckett, acabo de ler 'Primeiro Amor', que ainda não conhecia. Fico impressionada com a maestria dele com as palavras - se fosse ranquear aqueles que mais se aproximam da 'medida exata' [existe?] ele certamente estaria entre os de primeiro nível, junto a pouquíssimos outros. Isso sem falar da roupa com que a Cosac & Naif tem vestido os textos do Beckett, nossa.... uma beleza. Abraços

Aníbal Bragança disse...

Querida Simone,
você é a leitora que entra na conta depois de mim, que sou o primeiro leitor, logo após escrever. O terceiro leitor é que são elas... será que há? Talvez o Felipe, de Florianópolis.
Brincadeiras à parte, gosto muito de saber de nossas afinidades 'intelectuais'.
Um grande abraço,
Aníbal

lilian disse...

olá Aibal, parabéns por este espaço. aproveito e convido você a visitar o meu BLOG cujo foco são os meus programas na MEC-FM e o universo da radiofonia (incluindo diversas postagens sobre os trabalhos do Roberto D'Ugo, que foi diretor da Cultura FM de São Paulo, numa das melhores fases da emissora).
abs
Lilian.
lilianzaremba.blog.uol.com.br

Socorro Acioli disse...

Serei a próxima leitora da fila!
Meu blog é
http://as-borboletas-de-fevereiro.blogspot.com

Um abraço
Socorro Acioli