domingo, 29 de abril de 2007

Tempo e caminho, de Roberto S. Kahlmeyer-Mertens

Canta o galo.
Luz preenche o vale:
- Eis a linguagem!
*
Vidas pequenas,
viço do princípio:
luz, solo; verbo.
*
Eu queria um verbo
capaz de reunir o acaso que sou,
ao vale em que moro;
ao sentido do outro com quem vou.
Um verbo com meu semblante
redimindo cismas;
as máculas que se sofreu.
E que me fizesse entender doravante.
*
Linguagem rege o canto,
compreende em palavras,
ilumina de sentido
o baldio dos mundos.
Preenche hiatos,
cria circunstâncias;
dá aos sítios
horizonte e fuga.
*
Houve um início, obscurecido;
um caminho, obstruído;
um anseio por falar,
mote de falácias tantas.
A vontade de sair do escuro,
– esta mesma –
nos lançou no negror;
fazendo-nos ganhar outra verve.

Poemas de Tempo e caminho, belo livro que se propõe composto de “escritos filosóficos mais próximos do gênero poesia”, com epígrafes remetendo a Hegel e Heidegger, editado pela Publit http://www.publit.com.br/ em 2006. Roberto Saraiva Kahlmeyer-Mertens, nascido em Niterói (RJ), em 1972, é professor universitário e doutor em Filosofia.

Um comentário:

raquel disse...

Belas palavras que tocaram minha alma. Um filósofo ou um poeta? Não importa. Importa a sensibilidade que impregnou o escrito...