sábado, 29 de março de 2008

Luís Antônio Pimentel faz 96 anos e recebe homenagens






















Fotos: 1) De Paul, LAP c. 1936, jornalista da Gazeta de Notícias (Rio de Janeiro). Fonte: Obras reunidas, v. 3; 2) No Japão, entre amigos e amigas, c. 1938. Fonte: Um tupiniquim na Terra do Sol Nascente, de Alaôr Eduardo Scisínio, 1998; 3) LAP em 1955. Fonte: Livraria Ideal, de Aníbal Bragança, 1999; 4) LAP na Livraria Pasárgada, c. 1977. Acervo pessoal; 5) Ricardo Hallais Walsh e LAP, na Livraria Ideal, 2004; 6) LAP e Zuleika Hallais, no auditório da Câmara Municipal de Niterói, 2007. Arquivo pessoal; 7) LAP em 2004. Foto de Carlos Pilloto. Fonte: Obras reunidas, v. 1; 8) LAP em 2006. Foto de José Chacon; 9) LAP na Exposição de Haicais realizada no Instituto Abel, de Niterói, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, 2008. Arquivo pessoal. Direitos reservados.
Hoje, rara leitora, permita-me expansão de uma alegria maior, pois um dos seres humanos mais admiráveis que a vida me permitiu conhecer completa 96 anos, neste 29 de março, em plena saúde e vitalidade. Chama-se Luís Antônio Pimentel. Para os que não o conhecem, vai abaixo um minibiografia que, na orelha dos volumes, apresentava ao leitor o autor das Obras Reunidas, que tive o privilégio de organizar, em 3 volumes, e que foram lançadas em 2004.

Se está em Niterói participe das homenagens que lhe serão prestadas hoje no 2º Salão de Leitura de Niterói, que está sendo realizado pela Prefeitura e seus parceiros, no Caminho Niemeyer, ao lado do Terminal João Goulart, Centro. A homenagem ocorrerá no Auditório Luís Carlos Tourinho, às 17h, com participação de amigos e admiradores do muito querido Pimentel. Na ocasião será lançado um novo livro sobre a trajetória e a obra do homenageado.

Minibiografia:
Luís Antônio Pimentel, jornalista, professor e escritor, nascido em 29 de março de 1912, em Miracema (RJ), mora desde a infância em Niterói (RJ). De família em que se destacam intelectuais como seu tio Alberto Figueiredo Pimentel (1869-1914), começou cedo sua atuação na imprensa carioca. Parte de sua produção de jovem jornalista, publicada na Gazeta de Notícias, compõe o livro Crônicas do rádio, nos tempos áureos da Mayrink Veiga (v. 3 das Obras Reunidas). Em 1937, já afastado da Escola Nacional de Belas Artes, cujo curso não chegaria a concluir, recebeu bolsa de estudos para o Japão. Encantado com a cultura nipônica, lá ficou até 1942, saindo apenas quando houve a evacuação de estrangeiros do país, em guerra. Retornou a Niterói e passou a dedicar-se ao ensino técnico e à imprensa na antiga capital fluminense. Diplomou-se em jornalismo pela antiga Faculdade Nacional de Filosofia, em 1952. Construiu uma obra literária marcada profundamente pela cultura japonesa. Seu segundo livro, Namida no Kito (Prece em lágrimas), publicado no Japão, em 1940, foi o primeiro traduzido naquele país de poeta de língua portuguesa. Contos do velho Nipon, editado no Brasil, também em 1940, foi talvez o primeiro livro de autor brasileiro a divulgar a cultura tradicional japonesa em nosso país. O livro Tankas e haikais, de 1953, de rara beleza, tem como matriz estilística a poesia tradicional nipônica (v. 2 das Obras Reunidas). Desde a sua juventude, dedica-se também à pesquisa sobre a história e a cultura brasileiras, especialmente às suas tradições populares. Compositor bissexto em sua juventude, teve músicas gravadas por Carmem Miranda e Odete Amaral. Fotógrafo, artista plástico, historiador, biógrafo, memorialista, pertence a várias academias de Letras, Folclore e História, à Sociedade Fluminense de Fotografia e é presidente de honra do Grupo Mônaco de Cultura. Parte de sua colaboração na imprensa fluminense e seus livros sobre a cidade formam a Enciclopédia de Niterói (v. 1 das Obras Reunidas). Publica semanalmente a seção “Artes Fluminenses” nos jornais A Tribuna e Jornal de Icaraí, de Niterói (RJ).

Da Apresentação (na orelha) em Obras Reunidas, 3 volumes, organizadas por este blogueiro e publicadas pela Niterói Livros, da Secretaria de Cultura de Niterói, em 2004.

Conheça mais: acesse o e-Grupo Luís Antônio Pimentel, vida e obra, e participe:
http://groups.google.com/group/luis-antonio-pimentel

7 comentários:

sérgio disse...

Parabéns pelos 96 anos!

esther maria disse...

obrigada pelo aviso. a memória anda pedindo socorro mesmo. dê um grande beijo nele, por favor. replicarei seu post no porcas e, mais tarde ligarei para ele. beijo

Aníbal Bragança disse...

Cara Esther,
O Pimentel faz parte de nossa vida (e de muitos outros) há muito tempo. Seu depoimento enriqueceu muito a postagem. Convido a todos a visitarem o seu blog:
http://porcaseparafusos.blogbrasil.com/
Um abraço,
Aníbal

Gracinda Rosa disse...

Anibal
Depois de sua enternecedora reportagem sobre a Festa das Fogaceiras, andei sumida por estar mergulhada na organização de um livro que me roubava quase todas as horas do dia. Dou, agora, uma pausa para poder buscar alguns bons momentos no 2º Salão da Leitura de Niterói e, entre a programação da manhã e da tarde (que inclui a comemoração dos 96 anos do Pimentel) vim visitar o seu blog. Encontrei tanta coisa importante, que prevejo bons momentos até conseguir ler por completo tudo que você nos oferece. Um grande abraço da Gracinda Rosa.

P.R.Cecchetti disse...

Confrade Aníbal, já enviei uma mensagem anteriormente! Não sei se chegou. Mas, aí vai outra: Parabéns pela divulgação do nosso Pimentel! Pena que ele seja usado para fins eleitoreiros... coisas primitivas desta terra de Araribóia! Sds,
P.R.cecchetti

Anônimo disse...

Obrigada, Aníbal, pelas relevantes informações, que incluirei na palestra sobre Pimentel, em Porto Rico, no dia 13/3.
Agradeço também a Roberto Kahlmeyer, pelas preciosas informações e valiosas análises, que incluo em minha fala.
Trarei boas novidades da leitura portoriquenha sobre a Arte da Palavra de Pimentel.
Carinho,
Cyana

The Caribbean Chapter of the College English Association (CEA-CC)
Conference: Art and the Artist in Society
University of Puerto Rico-Arecibo
Date: March 13-14
Session: the writer’s role in the process of creating and defining art

‘L. A. Pimentel: a 96-year-old poet still writing bilingual haikus?’
by Cyana Leahy-Dios
(with thanks to Roberto Kahlmeyer Aníbal Bragança)

Jornalista Luiz José disse...

Parabéns pela história jornalística. Sou Luiz José dos Santos 65 anos, e coloquei em meu jornal o nome Gazeta de Notícias, por uma série de motivos, inclusive por conhecer a história da imprensa nacional. Aqui no Ceará, Fortaleza, nos idos de 1960 existiu uma Gazeta de Notícias. Meu jornal é no Cariri cearense Juazeiro-Crat-Barbalha.
Meu abraço